Que os vídeos estão em alta, já não é mais novidade para ninguém. Anúncios, conteúdos diversos, reuniões, entretenimento, o formato dominou as redes sociais e segue em escalada ascendente no ambiente digital. Segundo o Instagram, os vídeos curtos, aqueles com até 15 segundos, já representam mais de 45% das publicações no feed, espaço onde, até pouco tempo, as fotos reinavam absolutas. Com a pandemia, as transmissões ao vivo também apresentaram um crescimento na plataforma e chegaram a 70% das visualizações, atingindo um contingente de 800 milhões de usuários por dia. Isso sem mencionar o fenômeno do TikTok, que atualmente tem cerca de 1,1 bilhão de usuários ativos mensais. O aplicativo já foi baixado mais de 2,6 bilhões de vezes ao redor do mundo, segundo dados revelados pela Sensor Tower em dezembro de 2020. Já o Youtube, a maior plataforma de vídeos do planeta, afirma que mais de dois bilhões de usuários visitam a rede social todos os meses. Diariamente, esta audiência consome mais de um bilhão de horas de vídeo. Com o streaming, o fenômeno não é diferente. As receitas de vídeo por assinatura nos Estados Unidos também não param de subir. A expectativa é que, em 2021, aumentem 3,6%, chegando a US $ 119,69 bilhões. São números impressionantes e que revelam um dado incontestável: o vídeo é o formato do presente e, possivelmente, do futuro.

 

O que é Vlog?

Por ser uma mídia dinâmica, que permite a conjunção de som e imagem, as possibilidades do vídeo são praticamente infinitas. O primeiro passo, portanto, é definir o canal de divulgação e o público. Para cada cenário, existe um tipo de material específico. É dentro deste contexto que surge o vlog, que tem um conteúdo semelhante ao publicado nos blogs, porém, utilizando vídeos no lugar de textos e imagens. Com a ascensão do formato, que pode gerar até dez vezes mais engajamento do que posts com textos e fotos, muitos blogueiros estão preferindo trabalhar com o vlog para garantir mais exposição, afinal os números mostram que os vídeos são mais assistidos, curtidos e compartilhados do que o conteúdo em texto.

A produção de conteúdo para vlog é semelhante a um blog, porém, no lugar do texto e fotos, é produzido um vídeo. Esse tipo de mídia está cada vez mais presente na internet. A estimativa é que 86% dos usuários da rede assistam a vídeos online e que a maioria prefira anúncios no formato audiovisual. Dentro deste contexto, os vlogs têm a vantagem de atrair também o interesse das marcas. Com isso, o segmento se expande, oferecendo aos criadores uma alternativa atraente para aumentar a sua receita com publicidade. Os anúncios como conhecíamos no passado hoje já não têm mais espaço junto e este formato oferece a possibilidade de que estejam inseridos dentro de uma narrativa, endossados por um personagem que tem credibilidade junto ao seu público. Sem mencionar, que este tipo de audiência é extremamente qualificado, ou seja: é possível falar exatamente com o consumidor que a marca pretende atingir, sem dispersões.

 

Receita do Sucesso

Os conteúdos publicados em vlogs, em geral, conquistam com mais facilidade a empatia da audiência. Diante da tela, o blogueiro revela sua face e cria uma conexão com o público, podendo se valer ainda de recursos como uma trilha sonora contundente, imagens, animações e outros efeitos, que ajudam a deixar a narrativa muito mais dinâmica e interessante. Familiares, parceiros, pets, vez por outra, surgem na tela, ajudando a humanizar este personagem e cativar o público. Suas experiências pessoais, dores, erros e acertos, tudo se transforma em material farto para compor esse tipo de material.

Existem vlogs de diversos tipos: tutoriais, que ensinam desde maquiagem a trocar a resistência de um chuveiro elétrico, cursos que vão de técnicas de jardinagem a montagem de computadores, opiniões sobre os temas mais diversos, como política, cultura, moda, empoderamento feminino, mundo pet, maternidade, games, culinária, entre outros. E quanto maior o canal, mais é possível investir na produção.

 

Mercado Competitivo

A popularização dos smartphones, sem dúvida, impulsionou a ascensão dos vlogs. Com um celular em mãos e um set de luz, que pode ser adquirido em lojas do comércio popular ou mesmo pela Internet, já é possível começar a produzir. O segredo é caprichar no conteúdo, de forma que consiga reter atenção da audiência, apresar da produção precária. Outro ponto fundamental e a facilidade dos canais de veiculação, sendo o Youtube o maior e mais popular e que, além de distribuir gratuitamente o conteúdo, ainda oferece a possibilidade de monetização. A regra é simples: quanto maior a audiência, a partir de um patamar mínimo, maiores podem ser as receitas. A equação é viável graças aos anúncios que são exibidos antes e durante a transmissão. Portanto, um vlogger de sucesso é aquele que consegue estimular o engajamento dos usuários, gerando compartilhamentos do material e comentários na página.

A busca pela atenção na internet, porém, é árdua. A concorrência é grande e o público, diante de uma oferta tão ampla, torna-se cada vez mais volátil. Sendo assim, durante a gravação, uma das estratégias é investir em vídeos não muito longos, que devem estar apoiados num bom roteiro. Existem ainda outras estratégias, um pouco mais técnicas, para alavancar os vlogs, como apostar nas ferramentas de SEO, caprichar na descrição e no título, entre outras providências. O trinômio educar, inspirar e entreter, indicado pelo próprio Youtube, dá uma pista sobre o tipo de conteúdo que faz sucesso na plataforma. O vlog é um produto autoral, por isso é possível expressar opiniões, sempre estando atento para não exagerar na medida, com comentários ofensivos a grupos ou pessoas e propagação de fake news, o que, além de muita dor de cabeça, pode render um processo judicial.

Essa mídia é uma ótima forma de conquistar autoridade dentro nicho escolhido, assegurando assim uma trajetória ascendente. As possibilidades são inúmeras e os cases de sucesso se multiplicam. Segundo o levantamento promovido pela IAB – associação de Mídia Interativa, que investigou a importância crescente da web na rotina dos brasileiros, realizado no primeiro semestre desse ano, a internet já é a mídia preferida de 82% dos 2.075 entrevistados. Destes, mais de 40% passam, pelo menos, duas horas por dia navegando na rede (por vários dispositivos digitais), enquanto apenas 25% gastam o mesmo tempo assistindo TV.

Mas não se engane, um vídeo de sucesso, seja o vlog ou qualquer outro formato, ainda depende de um bom roteiro e muito cuidado com a qualidade do som e imagem. Conforme já pontuamos, efeitos, vinhetas, uma boa trilha sonora – com atenção aos direitos autorais, lembrando que violações são punidas pela plataforma – animações e uma edição competente também são fundamentais dentro de um mercado cada vez mais competitivo. Afinal, para se destacar na multidão é preciso muito mais que uma câmera na mão e uma ideia na cabeça. É necessário disposição para um trabalho árduo, com constância e responsabilidade.

Rush Video – Ideas em Movimento