Nós como seres humanos estamos habituados a classificar coisas ao nosso redor, seja por questões de organização ou até mesmo didatismo para um melhor entendimento sobre os mais diversos assuntos. E isso não seria diferente quando nos referimos ao cinema. É muito comum classificarmos filmes como “terror”, “comédia”, “ação” entre outros.  Mas o que são esses gêneros cinematográficos e porque os classificamos assim?

 

Definição

De acordo com o Oxford Languages, gênero é um “conjunto de seres ou objetos que possuem a mesma origem ou que se acham ligados pela similitude de uma ou mais particularidades.” ou seja, a união pela semelhança. Por isso mesmo quando isso não é dado para a audiência diretamente, conseguimos correlacionar as diversas características que compõem as peças audiovisuais à algum gênero. Entretanto, é muito comum essas associações serem feitas seguindo padrões da indústria de cinema americana. 

Quando a questão se volta ao cinema de autor, é justamente a quebra dessas convenções que fazem esses filmes serem diferentes, focando seu olhar na obra artística em si como uma peça única diferente das demais, onde há uma valorização do autor. Por isso muitas vezes esse tipo de peça audiovisual não possui compromisso com o entretenimento. 

 

Como se constrói um gênero

O surgimento de um gênero pode ser muito mais complexo do que parece. Fatores culturais e sociais definem o que de fato se tornará parte de uma categoria que permanecerá sendo utilizada como forma de identificação.  Dentre os principais fatores que podem definir um gênero estão: as avaliações críticas de um grupo de obras de referência que seguem esses padrões e a aceitação popular (que irá definir o sucesso de certos tipos de filmes). Com o grande sucesso de um tipo específico, a tendência é que a indústria se adeque e tente produzir peças semelhantes para gerar os mesmos resultados. Essa padronização e repetição somado aos fatores citados anteriormente faz com que os gêneros sejam estabelecidos. 

 Vejamos agora algumas características dos principais gêneros cinematográficos.

 

Ação

Destacando-se por ser o mais comum e presente de todos, o gênero ação costuma ter o maior apelo popular e comercial. Geralmente não possui narrativas de grandes apontamentos críticos e ganha o público através de grandes duelos, frenetismo, explosões e situações que definem de maneira clara quem é o herói e quem é o vilão do filme. 

Com clássicas jornadas do herói, filmes de ação tendem a não tocar em temas controversos ou com muita problematização. 

 

Comédia

A comédia é o gênero que busca o riso, seja ela da maneira que for. A comédia clássica dos tempos da antiguidade visava refletir sobre as fragilidades humanas, sejam elas em forma de vício, negligência ou insensatez. Entretanto, quando olhamos para o cinema, ela busca esse ressalte das fragilidades através da comicidade. Algumas das estratégias para chegar nesse resultado podem ser encontradas nos Manuais de Cinema II: Géneros Cinematográficos com suas descrições completas. Mas dentre todas elas, as principais são: o exagero, o equívoco, o absurdo, o insólito, o escatológico, o anacrônico, entre outros. 

 

Drama

O drama costuma também trabalhar com o lado emocional da audiência, geralmente carrega consigo personagens mais humanizados em situações cotidianas comuns. Procura em grande parte efeitos de realismo e reflexão. Ele pode se dividir em sub gêneros que especificam ainda mais sua temática, por exemplo: O drama social (na qual o principal conflito narrativo é entre a personagem e o ambiente no qual está inserido (a)); O drama bélico que remete a situações de alta violência (como os filmes de guerra); O psicológico (no qual o indivíduo tem um conflito interno); O romântico (que é auto explicativo e geralmente envolve casos amorosos), entre muitos outros. 

 

Terror

Por mais irônico que isso possa soar, os filmes de terror trabalham justamente o desconforto da audiência, é isso que torna este gênero tão único. Ainda nas palavras dos manuais de cinema “é como se o espectador encontrasse o seu prazer no próprio sofrimento”. E em alguns momentos o desconforto pode ser tão grande que o espectador desvia o olhar para não enfrentá-lo. Este gênero pode variar desde narrativas mais focadas em personagens reais como serial killers, até ir além do sobrenatural, com espíritos, demônios e assombrações.

É claro que, se tratando de peças artísticas a indústria está sempre tentando inovar, seja fazendo a mistura desses gêneros já citados ou ainda outros como: Film Noir, musical, ficção científica , thriller, western, fantástico, entre outros, ou ainda tentando inovar. A maior questão é que os gêneros são frutos de vivências culturais e adaptações sociais, que se modificam com o passar do tempo acompanhando a sociedade e suas demandas culturais. 

E para você? Qual é o seu gênero favorito?

Este artigo teve como referência o livro ‘Géneros Cinematográficos’ escrito por Luís Nogueira e publicado pela LabCom em 2010. Não deixe de conferir a obra completa para uma análise mais detalhada sobre o tema!

 

Rush Video – Ideias em Movimento.