ENTENDA SOBRE A POLÊMICA DA SÉRIE 1899 E O QUADRINHO BLACK
SILENCE

1899” acompanha os passageiros e os tripulantes do navio Kerberos, que deixa a
Europa rumo a Nova York, esperando encontrar uma nova vida no outro continente. Trata-se
de um grupo multicultural, e a viagem assume um novo rumo quando eles encontram o
Prometheus, um navio que desapareceu sem deixar rastros alguns meses antes.
A série dos criadores de Dark se tornou rapidamente uma febre no Brasil e pouco
tempo depois de lançada começou a carregar rumores e polêmicas não tão positivas para a
série. Os boatos envolvem o suposto plágio da história em quadrinhos “Black Silence”, que
segundo a sinopse oficial indica que o futuro da Terra está com os dias contados, e uma
equipe de astronautas é convocada para fazer reconhecimentos de um planeta que pode ser a
única chance de sobrevivência dos seres humanos. Lucas, um biólogo que está com a carreira
ameaçada, aceita uma proposta de uma militar e embarca em uma missão que promete mudar
tudo o que ele acreditava ser verdade.

A ACUSAÇÃO

Por meio do Twitter, a quadrinista brasileira Mary Cagnin acusou a Netflix de plágio,
dizendo que sua história caiu nas mãos dos criadores em um evento de quadrinhos nos países
nórdicos. Segue o fio:

“Está tudo lá: A pirâmide negra. As mortes dentro do navio/nave. A tripulação
multinacional. As coisas aparentemente estranhas e sem explicação. Os símbolos nos olhos e
quando eles aparecem. As escritas em códigos. As vozes chamando por eles. Detalhes sutis
da trama, como dramas pessoais dos personagens, incluindo as mortes misteriosas. Você deve
estar se perguntando: como isso é possível? Pois bem, em 2017 fui convidada pela embaixada
brasileira a participar da Feira do Livro de Gotemburgo, uma feira internacional muito
famosa e influente na Europa. Participei de painéis e distribuí o quadrinho Black Silence para
inúmeros editores e pessoas do ramo. Não é difícil de imaginar o meu trabalho chegando
neles. Eu não só entreguei o quadrinho físico como disponibilizei a versão traduzida para o
inglês.Já chorei horrores. Meu sonho sempre foi ser reconhecida pelo meu trabalho
nacionalmente e internacionalmente. E ver uma coisa dessas acontecendo realmente parte
meu coração. Sabemos que no Brasil temos poucas oportunidades para mostrar nosso
trabalho e ser reconhecido por ele. Tive a oportunidade que muitos quadrinistas nunca
tiveram: de poder mostrar meu trabalho para o público internacional. Gente. Eu dei palestras.
Falei sobre o plot. Apresentei para pessoas influentes da área. O negócio é sério. Obviamente,
Black Silence é uma obra curta, quase um conto. É muito fácil, em 12h de projeção da série,
diluir todas essas “referências”, mas a essência do que eu criei está lá.A gente não pode achar
que só porque somos brasileiros devemos aceitar esse tipo de menosprezo e indiferença.
Temos inúmeros casos de gringos copiando a gente, em filmes, séries e músicas. Como o
caso do filme “As aventuras de Pi” que foi copiado de um livro brasileiro.” – como ela diz em
seu Twitter.

Respondendo à acusação, Baran bo Odar, um dos criadores da série, se posicionou em
seu Instagram:

“Obrigado por essas palavras gentis, elas significam muito para nós. Como já
mencionei: infelizmente, não conhecemos esta artista, seu trabalho ou seus quadrinhos. Nós
nunca roubaríamos o trabalho de outra artista, pois sentimos que somos artistas também.
Entramos em contato com ela, então espero que ela retire essas acusações. A internet se
tornou um lugar estranho, e peço por mais amor ao invés de ódio”

Outra criadora da série, Jantje Friese, também postou sobre o caso:

“Ah, internet! Não posto nada há anos porque, francamente, acho que as redes sociais
se tornaram tóxicas. As últimas 24 horas provaram isso. Para contextualizar: uma artista
brasileira alegou que plagiamos sua graphic novel. Para deixar claro: não o fizemos! Até
ontem, sequer sabíamos da existência dessa graphic novel. Ao longo de dois anos, colocamos
dor, suor e exaustão na criação de 1899. Esta é uma ideia original e não foi baseada em
nenhum material anterior. No entanto, temos sido bombardeados com mensagens – algumas
delas feias e ofensivas. Alguém grita lobo e todos pulam sobre ele, sem nem mesmo verificar
se as afirmações fazem algum sentido. Claro que se isso for ser um plano para vender mais
edições de graphic novel: bela jogada.”
O caso ainda será investigado, mas já podemos dizer de antemão que ambas
produções são extremamente interessantes e sucessos no público jovem nerd.

Rush Vídeo – Ideias em movimento