Quem já viveu a situação de não conseguir reproduzir um vídeo porque o formato do arquivo não era aceito pelo player, sabe o tamanho da frustração. Isso acontece porque são várias as possibilidades para armazenamento de conteúdo audiovisual, cada uma com suas especificidades, vantagens e desvantagens. Por isso, é importante entender as diferenças entre cada formato.

ARQUIVOS DE VÍDEO: ENTENDA AS DIFERENÇAS ENTRE OS FORMATOS

Mas antes de conhecermos os diferentes tipos de arquivos de vídeo, é preciso entender o conceito dos codecs, que são codificadores/decodificadores, implementados via hardware ou software, com a função de interpretar os sinais digitais. Ou seja: para que seja possível assistir um vídeo num determinado dispositivo, que pode ser um smartphone, tablet, computador ou smart TV, por exemplo, é necessário um codec específico, capaz de “decifrar” o conteúdo do arquivo. E para que os vídeos tenham um bom desempenho no player para o qual ele foi formatado, é preciso conhecer os diferentes tipos disponíveis.

AVI

A sigla AVI significa Audio Video Interleave, em tradução livre: áudio e vídeo intercalados. Desenvolvido pela Microsoft e, portanto, compatível com as versões do Windows, este tipo de arquivo serve o armazenamento das faixas de áudio e vídeo, que durante a reprodução do material serão executadas de forma sincronizada. É o formato usualmente utilizado pelos aparelhos de DVD e Blu-Ray que são compatíveis com o codec DivX.

FLV

Este é o formato de arquivo utilizado pelo Adobe Flash Player é bastante versátil, sendo suportado por todas as plataformas e navegadores de vídeo, por isso também é bastante usado em ferramentas de streaming de vídeo online, como é o caso YouTube. Os arquivos FLV costumam ser relativamente pequenos quando comparados aos seus concorrentes, facilitando o download. Porém não é compatível com alguns dispositivos móveis, como iPhones.

MOV

Este formado foi desenvolvido pela Apple, sendo rival do AVI. Mesmo assim, é compatível com o Windows Media Player, além do QuickTime Player, seu programa padrão de reprodução também disponível para Windows. Seu diferencial frente ao concorrente é que, apesar de compactar os vídeos em arquivos relativamente pequenos, implica numa perda inferior na qualidade de som e imagem

MP4

Este é, sem dúvida, o formato mais popular, sendo compatível com o YouTube. Foi desenvolvido para preservar a qualidade dos vídeos, criando arquivos relativamente pequenos. Tem como diferencial não necessitar de Codecs previamente instalados para rodar. Por esse motivo, é uma opção bastante utilizada e suportada pela maioria dos dispositivos. Conhecido também como MPEG-4 foi um dos primeiros formatos de arquivo da era digital.

RMVB

É um formato que produz arquivos bastante compactos, facilitando o download ou upload de vídeos na internet. Contudo, a sua principal característica acaba sendo também uma desvantagem, pois a qualidade do vídeo é inferior aos demais.

WMV

Este formato foi desenvolvido pela Microsoft com a missão de substituir o AVI, preservando a qualidade do vídeo, além de ser compatível com o YouTube. É um formato padrão do Windows, dispensando a instalação de codecs adicionais. O próprio player da Microsoft, o Windows Media Player, reconhece automaticamente este formato. Outra vantagem é que, a exemplo dos arquivos de áudio com extensão WMA (Windows Media Audio), a execução é possível antes da finalização do download, assim como acontece com o YouTube. Outra característica é criar arquivos pequenos com melhor compactação que o MP4. Por tudo isso, é popular nas plataformas de streaming de vídeo online. A desvantagem é não ser compatível com dispositivos Apple, mas os usuários podem contornar o problema baixando o Windows Media Player para iPhone ou Mac.

Entretanto, estes são apenas alguns dos formatos disponíveis. Em breve, a Rush Video, produtora localizada em Campinas, interior de São Paulo, trará um outro artigo sobre o tema, onde serão apresentados outros tipos de arquivo, inclusive o AVCHD, utilizado para reprodução de vídeo em HD e gravação digital.

 

Rush Video – Ideias em Movimento