O REMAKE NOSTALGIA DE “O MUNDO SOMBRIO DE SABRINA”

Tias atrapalhadas, um gato-robô falante, romances e intrigas juvenis foram alguns dos
enredos atrativos da série Sabrina – Aprendiz de Feiticeira, que foi ao ar entre 1996 e 2003. A
personagem simpática e alegre, no entanto, assumiu traços bizarros em O Mundo Sombrio de
Sabrina, produção original da Netflix inspirada na feiticeira que estreou em 2018.
Antes, os problemas da protagonista eram triviais, como quando transformou, sem querer, sua
rival em um abacaxi. Agora, no entanto, ela precisa decidir se declara ou não lealdade eterna
ao Senhor das Trevas. Ela também usa os poderes para fazer justiça às amigas oprimidas pela
sociedade patriarcal. A jovem não hesita em amaldiçoar colegas que fazem bullying com o
amigo transgênero, ou o diretor da escola, quando ele bane livros escritos por mulheres da
biblioteca.

O FIGURINO ATEMPORAL

Greendale está envolta por uma atmosfera atemporal. Elementos aqui e ali, como
computadores e iPhones, lembram o espectador que a série se passa nos dias atuais, não no
século passado. Os looks da Sabrina de Kiernan Shipka não seriam diferentes. Ao longo das
três temporadas, a bruxinha misturou peças modernas com sutis referências aos anos 1960 e
1970, homenageando personagens importantes da moda, como Jackie Kennedy.
O figurinista Angus Strathie, que venceu o Oscar pelo figurino de Moulin Rouge em 2002, foi
também bastante fiel a Sabrina das HQs, replicando a faixa de cabelo preta e o casaco
vermelho à la Chapeuzinho Vermelho que acompanha a personagem desde o primeiro
episódio, o que torna a série mais atrativa para os fãs dos quadrinhos, filmes e série antiga.
Nesta última temporada, O Mundo Sombrio de Sabrina também prestou sua homenagem às
calças de cintura baixa e t-shirts da versão de 1990. Em determinado episódio, tanto a
protagonista, quanto suas tias Zelda e Hilda, recriaram o visual de Aprendiz de Feiticeira —
talvez com a ajudinha de certas veteranas.

O ELENCO

O Mundo Sombrio de Sabrina pregou a diversidade desde a escalação do elenco. Kiernan
Shipka, que, quando criança, interpreta a adorável filha do protagonista Don Drapper em Mad
Men, dá vida à nova Sabrina. A ela, se juntam rostos conhecidos, como Lucy Davis, a Dawn
Tinsley de The Office, Miranda Otto, a Éowyn de Senhor dos Anéis, e o antigo galã do
Disney Chanel, Ross Lynch.

O ARCHIEVERSE E CROSSOVER COM “RIVERDALE”

A nova versão de Sabrina é inspirada nos quadrinhos da Archie Comics, mesma editora de
Riverdale. A ideia era que as séries compartilhassem um universo comum, e os personagens
pudessem frequentar ambas as histórias, como acontece nas HQs (inclusive na última edição
publicada de Archie o personagem e Sabrina Spellman são um casal).
Durante a terceira temporada da série, Sabrina visita a cidade de Riverdale com seu primo,
Ambrose para encontrar a coroa de Herodes, mas não chega a encontrar nenhum personagem.
Com o cancelamento da série, os planos de um “Archieverso” foram, também, abandonados.

O CANCELAMENTO DE SABRINA

A Netflix pegou os fãs desprevenidos ao anunciar o fim de O Mundo Sombrio de Sabrina
após a quarta temporada. Muitos recorreram às redes sociais para tentar “salvar” a série —
como aconteceu com Lúcifer, que ganhou algumas temporadas a mais após os espectadores
espumarem no Twitter. Mas dessa vez não funcionou.
Tudo indica, no entanto, que o fim de Sabrina não foi fruto de desentendimentos nos
bastidores ou possíveis questões de audiência. Em nota, o criador da série, Roberto
Aguirre-Sacasa, afirmou que “contou a história que queria contar”, e agradeceu a Netflix, a
Archie Comics, a Warner e a todo o elenco da produção por permitirem que ele a contasse de
seu jeito.
Poucas produções originais da Netflix passam da quarta temporada, aliás. O sucesso Ozark,
por exemplo, também terminou na quarta leva de episódios. O serviço de streaming é
bastante fã de minisséries, como o sucesso recente O Gambito da Rainha.

AS DUAS SABRINAS E O PARADOXO TEMPORAL

No último episódio da terceira temporada de O Mundo Sombrio de Sabrina, a personagem
cria um paradoxo temporal para que existam duas de si: uma para viver uma vida normal de
adolescente em Greendale, outra para assumir o trono de Rainha do Inferno, resolvendo a
grande trama da série – a “escolha” que a Sabrina deveria fazer entre vida humana e bruxa.
O trailer da quarta temporada entrega que o plano de Sabrina não foi tão brilhante assim, e ela
precisará recorrer à sua outra metade para enfrentar os outros novos demônios que
assombram a cidade.

OS TERRORES DO SOBRENATURAL

Vilões da temporada, os Terrores do Sobrenatural são oito seres que precedem a existência do
Céu, da Terra e do Inferno. Cada um pauta um episódio da quarta temporada — uma saída
um tanto quanto clichê, mas que resolve um dos grandes problemas da série segundo o
público: o ritmo, por vezes muito acelerado, outras muito lento.
Letais tanto a Greendale quanto ao inferno, os Terrores do Sobrenatural são uma ameaça
tanto à Sabrina da Terra e à do Inferno, e forjarão uma amizade entre as duas — ainda que
elas sejam a mesma pessoa.

 

Rush Video – Ideias em movimento