O risco dos profissionais de vídeo !
Por Toni Ferreira
Hoje estava programado para publicarmos um artigo que fala sobre uma produção bem legal que fizemos em 2006, falando do uso racional da água e dos recursos hídricos em geral.
Mas um fato alterou nossa programação, um acidente que abalou o país, a queda do avião do presidenciável Eduardo Campos na baixada Santista. Foi-se uma promissora carreira política, que sem dúvida era vista com muito interesse por mutios eleitores. Mas foi-se também, mais profissionais da nossa área, um cinegrafista, um fotógrafo e um jornalista. Claro que este caso não pode, nem de lonje, ser comparado ao do colega carioca da Band Santiago Ilidio Andrade. Naquela ocasião o repórter cinematográfico foi vítima da violência de um grupo de manifestantes, que se assemelham a algumas torcidas organizadas de times de futebol, no caso de ontem um acidente não, foi uma fatalidade mas que mostra a quantos tipos de riscos os profissionais que atuam na área de  vídeo produção e de  vídeo jornalismo. O objetivo deste artigo é alertar para a valorização de nosso trabalho, pois aqueles que cobram 1.000 e aqueles que cobram 100.000 correm os mesmos riscos no final das contas. Não devemos portanto, vender nossos serviços a preço de banana, devemos valorizar nossa categoria que muitas vezes se debara com aventureiros pagando para trabalhar. Se você é um empresário da área como eu, sabe do que estou falando e se você não é deve imaginar.
Fica aqui nossa modesta homenagem a todos os familiares das vítimas do acidente, mas adotando um certo corporativismo, especialmente aos familiares do assessor de imprensa de Campos, Carlos Augusto Leal Filho, ao fotógrafo da campanha Alexandre Severo e ao cinegrafista Marcelo Lyra.
Sou produtor de vídeo a quase 30 anos e viajo muito, posso dizer que nossos riscos com viajens, reportagens e produções em lugares distantes, com pouca segurança são reais e por isso devemos tomar todas as precauções possiveis, mas devemos fazer valer a pena correr esse risco, valer a pena primeiramente pelo resultado final da produção não nos esquecendo de valorizarmos nossos profissionais.
 
Rushvídeo: Ideias em movimento!